Atenção, todos os "main" suportes pelo mundo: Moira é a possibilidade de você voltar aos holofotes das "Jogadas da Partida". Anunciada nessa sexta-feira (3) durante a BlizzCon 2017, a nova heroína de Overwatch veio ao mundo com a promessa de um novo personagem com cura depois de vários focados em outras classes. Mas não se engane, pois ela tem tudo o que um suporte já imaginou.

Pensando nisso, o The Enemy testou a personagem e conta a experiência para todos os fãs que estão animados em jogar com ela.

As habilidades

Antes de começarmos, é melhor explicar o que ela pode fazer e algumas características das suas habilidades. Em vez de usar munição, Moira conta com barra para curar seus aliados que é recuperada com o tempo ou causando dano nos inimigos. Pense como uma Symmetra capaz das duas coisas ao mesmo tempo.

Sua primeira habilidade é uma esfera que pode pipocar pelo cenário e causar dano ou curando — a escolha é sua. A magia dura mais conforme ricocheteia pelas paredes, o que a torna incrivelmente poderosa em combates fechados.

Ela também conta com um "teleporte" capaz de salvá-la das situações mais difíceis. Ele funciona de forma parecida com a invisibilidade de Sombra, a diferença é que Moira se torna invunerável durante a utilização e a duração é muito mais curta.

Agora, o supremo é de encher os olhos: com o poder de um saiyajin, ela lança um raio constante capaz de curar e dar dano ao mesmo tempo a todos que entram em contato com o especial, mesmo atrás de barreiras. Nesse período, ela não pode cancelar a magia, usar as outras habilidades e sua movimentação fica mais lenta.

O impacto na partida

Cura, dano e sobrevivência. Enquanto alguns suportes focavam em áreas específicas, Moira faz tudo isso de maneira rápida e com muitos outros diferenciais. Pra começar, ela tem uma segurança maior que outros personagens da função, podendo sair rapidamente de situações difíceis ou perseguir adversários específicos (principalmente uma Tracer tentando flanquear a equipe).

Ao mesmo tempo, ela tem um potencial de dano muito grande. Durante os testes na BlizzCon, percebi que uma esfera pode ficar ativa por mais de 11 segundos, sendo extremamente efetiva para sobreviver em locais pequenos ou "combar" com outros supremos.

O especial também acompanha grandes lutas com dano e cura constante. Não é difícil salvar uma equipe presa no supremo da Zarya com a mesma eficiência de um Zenyatta, mas ele também pode ultrapassar barreiras e acompanhar sua equipe enquanto outro suporte foca na sobrevivência (alô, Mercy). Há um leque de opções muito grande aqui e você, como sempre, precisa saber o melhor momento para cada opção.

Não é à toa que Jeff Kaplan soletrou Moira com "OPAF". Dentro do prisma dos suportes, ela sobrevive com mais facilidade, pode lidar com ameaças em curta distância e salvar a sua equipe com um supremo bem posicionado. O difícil, no entanto, será saber o momento certo para dano e cura, mas masterizar essas duas funções é o que pode trazer muitas e muitas medalhas para você no final da partida.

O The Enemy visitou a BlizzCon 2017 a convite da Blizzard.