Muitos fãs de eSport vão concordar: o segundo split do CBLoL 2017 foi o mais louco e imprevisível que o cenário brasileiro de League of Legends já viu.

Os sinais estavam lá desde o início: antes mesmo de começar a temporada, três times foram rebaixados e três subiram para a “série A”. Na história da competição, nunca os dois times perderam a Série de Promoção e caíram para o Circuito Desafiante. Algo já estava alterando as linhas do tempo-espaço no cenário competitivo.

Logo após, tivemos o início fortíssimo das equipes novatas. A campanha cada vez mais controversa da CNB. Os times indo e voltando na tabela de pontos. O fechamento maluco da última rodada. A Keyd Stars disputando a Série de Promoção por causa de minutos e do critério de desempate. A paiN Gaming levantando-se contra a INTZ. A campeã RED Canids caindo diante da Team oNe.

Não víamos uma série de surpresas assim há muito tempo. Talvez a última reviravolta foi justamente a vitória da KaBuM sobre a Keyd Stars dos coreanos e a posterior vitória no CBLoL 2014. E, convenhamos, aquele foi um choque grande: ninguém esperava ver o “Dream Team” de An "SuNo" Sun-ho desabando perante tal desafio.

Também não esperávamos que Felipe “brTT” Gonçalves caísse novamente nas semifinais de um evento para outra das surpresas do CBLoL. Só que, dessa vez, a protagonista foi a Team oNe — com um elenco que não parece sentir o peso da pressão, eles demonstraram frieza e uma adaptação muito além do esperado para um time do Circuito Desafiante.

Tudo isso graças a vários nomes. João "Marf" Luís e Bruno "Brucer" Pereira são os dois jogadores que se revezam na rota do meio a reinventam o estilo da equipe. Os demais integrantes também acompanham com muita consistência, principalmente o atirador Luis "Absolut" Felipe Carvalho.

O desafio será enorme, visto que a paiN Gaming traz veteranos e outros talentos do CBLoL dos últimos anos. De um lado, a experiência de Gabriel "Kami" Santos Bohm e dos demais que conduzem as chamadas no topo e no suporte. Do outro, o crescimento do atirador Pedro "Matsukaze" Gama nas últimas temporadas.

O palco está armado para uma final incrível e que promete de tudo. Pela primeira vez, eu realmente sento para acompanhar um CBLoL em que qualquer um dos vencedores me deixará satisfeito como um fã do League of Legends nacional.

A paiN Gaming pode levar sua experiência para o Mundial e quebrar seus próprios recordes no campeonato máximo da Riot Games; e a Team oNe supera as barreiras do próprio cenário e leva um time em campanha meteórica para a sua primeira experiência no exterior. Ambos os casos me deixam extremamente curioso.

Sim, ainda podemos ter muitas surpresas e a final do CBLoL em Belo Horizonte será só o início de uma delas. E, no fim, os fãs do eSport agradecem e contribuem com a sua torcida.