Gabriel "Kami" Santos, atleta da paiN Gaming um dos principais nomes do League of Legends brasileiro, afirmou que a decisão de não jogar o 1º Split do Campeonato Brasileiro de League of Legendsfoi pessoal.

Em um vídeo publicado na última quinta-feira (11) em seu canal no YouTube (veja acima), o atleta explica por que seu nome não está na escalação da paiN para a competição. "(A decisão de não jogar) foi algo que eu já vinha pensando desde o meio de 2017", relembra. "Durante o segundo split, estava com a cabeça em diversos lugares, que não necessariamente o League of Legends. E acredito que um pro player precisa estar respirando LoL, estar 100%. Precisa dedicar seu máximo. Por algumas semanas, eu não estava. Admito, me perdi. Passei a pensar em outras coisas, não me focar tanto. Não acho que isso é permissível em um ambiente competitivo."

Entretanto, Kami rejeitou qualquer possibilidade de seus problemas pessoais terem afetado a campanha da paiN - a equipe ficou com o vice-campeonato. "Fui buscar ajuda. Não fico de consciência pesada porque sei que me reencontrei e dei meu 100%. Não foi o suficiente para sermos campeões, mas sei que dei meu 100%", conta.

Desde então, o atleta não joga pela paiN - na Superliga, realizada no fim de 2017, Thiago "tinowns" Sartori foi escalado como o meio da paiN. "Quando acabou (o segundo split), decidi parar para pensar. Acima de tudo, a gente precisa fazer o que nos deixar feliz. Naquele momento, pensei que não estava a fim de jogar a Superliga. Não ia conseguir me focar. Aí, decidi não jogar. E já estava com o plano de não jogar o primeiro split", conta.

Kami não descarta retornar ao LoL competitivo - ele chega a citar o exemplo do Yliang "Doublelift" Peng, que ficou sem jogar pela Team SoloMid durante seis meses e retornou. Entretanto, o atleta não sabe como será seu futuro como pro player. "Não sei se vou voltar. Não sei se não vou voltar. Não sei o que o futuro me reserva, mas decidi que não iria jogar."  

Por agora, o atleta diz que voltou a estudar e revelou um desejo de longa data de se tornar piloto de avião. "Quero seguir isso. Não sei quando, exatamente, como profissão. Talvez seja agora, talvez não seja, mas é um projeto futuro que estou tocando, nos devidos limites."

O 1º Split do CBLoL começa em 20 de janeiro.