Anunciado durante o The Game Awards 2017, Bayonetta 3 pegou muita gente de surpresa no final do ano passado – mas não sem deixar alguns fãs da série chateados por conta de sua exclusividade para o Switch.

Em uma série de tuítes publicados nesta terça-feira (13), Hideki Kamiya, diretor do jogo, resolveu explicar porque o jogo chegará apenas para o novo console da Nintendo, dando alguns detalhes sobre a história por trás da franquia.

Segundo ele, a exclusividade é decisão das duas empresas que detém os direitos sobre a série – no caso, a Sega e a Nintendo.

Financiado originalmente apenas pela Sega em sua primeira versão, Bayonetta – e, na sequência, Bayonetta 2 –  recebeu investimentos extras da Nintendo que deram fôlego à franquia e garantiram sua chegada ao Wii U.

Com isso, a Big N garantiu acesso à propriedade original da Sega, o que se estende agora ao terceiro título da série, que será financiado completamente pela Nintendo.

"Sem a ajuda [da Nintendo], nós não conseguiríamos ter começado esse projeto", escreveu Kamiya. "O desenvolvimento de jogos é um negócio. Cada empresa tem suas próprias circunstâncias e estratégias. Às vezes, isso significa que os jogos são feitos, às vezes significa que eles são cancelados".

"Demorou um tempo para a produção de Bayonetta 3 ser aprovada, mas agora que começou, espero que ele se transforme em um encontro maravilhoso para todos vocês", encerrou o diretor do game.