O polonês Stanislaw Lem, um dos mais celebrados autores de ficção científica, morreu ontem, 27 de março, aos 84 anos em decorrência de problemas cardíacos.

Autor de Solaris e Memórias encontradas numa banheira, Lem teve seus livros traduzidos em 41 idiomas, com 27 milhões de exemplares vendidos. Solaris - que exemplifica seu tema preferido: a impossibilidade de comunicação entre humanos e civilizações alienígenas - teve duas versões para o cinema, a primeira em 1972, por Andrei Tarkovsky, e a outra em 2003, por Steven Soderbergh.

Lem lutou na Segunda Guerra Mundial contra a ocupação nazista em seu país, foi mecânico de automóveis e estudante de medicina, mas começou a escrever enquanto trabalhava como cientista pesquisador.