Marvel Ultimate Alliance
Activision (PC)
3,5 ovos
Com o sucesso de crítica e público da série X-Men Legends - que teve dois games lançados em 2004 e 2005 - a Marvel e Activision resolveram ampliar a abrangência do produto. O estilo de jogo, estratégia cooperativa com elementos de RPG, antes dedicado exclusivamente aos pupilos de Charles Xavier, abraçou todo o Universo Marvel no recém-lançado Marvel Ultimate Alliance.

Com a entrada de todo o panteão da maior editora de super-heróis, 140 personagens podem ser encontrados na aventura, dos quais 20 são controláveis. São heróis e vilões que vão do primeiro escalão da Casa das Idéias até os mais ralés. Todos respeitando bastante suas caracterizações dos quadrinhos, apesar de alguns vilões, mais fraquinhos, serem um tanto turbinados pra encarar heróis poderosos. De que outra maneira o patético Shocker sobreviveria a um encontro com o Coisa, Capitão América, Doutor Estranho e Homem de Ferro, por exemplo?

O roteiro da aventura é de C.B. Cebulski (Mangaverso Marvel), que sofreu pra colocar juntos heróis e vilões de cenários distintos. A possibilidade criativa - 140 personagens - exigia uma saga grandiosa, como os eventos bombásticos anuais dos quadrinhos. Mas o escritor, que não é dos melhores na folha de pagamento da empresa, traz uma trama picotada, cheia de missões pequenas e às vezes irrelevantes, que se preocupa mais com as mudanças frequentes de cenário e ameaças do que com a relevância da história. Há, sim, uma premissa básica, que tem o Doutor Destino por trás, mas é meio difícil de engolir. Melhor faria a Marvel se tentasse dar aos games uma aventura como as que produz na nona arte.

Ignorando esse aspecto, Ultimate Alliance é uma ótima diversão. A idéa básica do jogo segue igualzinha, com o foco nas inúmeras opções de personalização dos heróis. Entre uma fase e outra de pancadaria, é hora de dividir pontos, armamentos, elaborar táticas e colher os resultados, criando e controlando equipes de quatro super-heróis dentre os vinte disponíveis. Como nas edições de Legends, é preciso equilíbrio entre força bruta, poderes de longo alcance e capacidades específicas, como vôo ou teleporte. São centenas de poderes disponíveis para aprendizado e desenvolvimento, além de equipamentos e uniformes a serem empregados para ampliar defesas ou outros atributos.

Novamente, como em Legends, é possível trocar uniformes entre diversas versões dos gibis, pegar itens escondidos, como capas clássicas de quadrinhos, e - se a sua combinação de superequipe ficar perfeita - obter bônus em defesas e ataques.

Os desafios de treinamento foram aprimorados, ganhando mais relevância. Agora encontram-se nas diversas missões discos holográficos, com os quais é possível jogar momentos cruciais da vida de personagens diversos, como origens. São desafios de tempo e habilidade que dão pontos e dinheiro, além de maior compreensão do passado dos personagens. Outra grande novidade é o módulo de criação de superequipe. Nele, é possível agrupar seus heróis favoritos, dar um nome a eles, e tentar conquistar status. Missões bem-sucedidas dão ao grupo habilidades em conjunto que só combatentes do crime acostumados a trabalhar juntos têm.

Os gráficos e complexidade das fases também foram melhorados, tornando Ultimate Alliance um jogo indispensável para quem aprecia o gênero dos super-heróis.