Pois é, a coluna mudou de data. Motivo? Simples, o dia de fechamento da revista (em que trabalho, obviamente) é dia 28 de todo mês. O que me levaria a escrever por aqui de modo frenético e até disléxico. Uma bagunça só. Para aliviar a cabeça já conturbada desta colunista, os editores do Omelete foram gentis o suficiente em atrasar um pouco a data da Game Ovo.

logo

None

guitar hero2_xbox360

None
Guitar Hero 2 (Xbox 360)

god_of_war2

None
God of War 2 (PS2)

wario_ware

None
Wario Ware (Wii)

command_and_conquer3.jpg

None
Command & Conquer 3 (PC)

Winning Eleven

None
Winning Eleven Pro Evolution Soccer 2007 (Xbox 360)

Dadas as devidas explicações, eu devo confessar que este mês foi um ótimo período para lançamentos, tanto de games completos, quanto de demos. Tive a grata felicidade de jogar Guitar Hero 2 para Xbox 360, dar uma passada rápida nas demos de God of War 2 e Command & Conquer 3, dar risada com Wario Ware: Smooth Movies e ver os meninos da redação jogando Winning Eleven: Pro Evolution Soccer 2007. Ok, isso parece (e é mesmo) coisa de menina, mas jogos de futebol, pra mim, servem só para assistir. Controlar os grandes jogadores mundiais da bola não é bem minha praia.

Além de todos estes lançamentos sensacionais, ainda chegou Tekken 5: Dark Resurrection, que, infelizmente, não tive muito tempo de jogar. Um dos pontos que chama a atenção nesta safra de games é o fato dos títulos pertencerem a todos os consoles de nova (e alguns de velha) geração e ainda mostrar um pouco dos gêneros diferenciados da produção de jogos: estão aí esportes, ação, aventura, luta, estratégia e até música.

Pois é. Para quem simplesmente tem a tarefa de jogar, isto é genial. Por favor produtoras, mandem mais e mais.

Já no meu caso, jornalista de plantão, uma leva tão grande de títulos bons pode se tornar um problema. Do que falar? Como deixar algum de lado? Por isso, resolvi as coisas de maneira bem pragmática. Falo de tudo um pouco e qualquer coisa, você me manda um e-mail e eu tento responder aqui.

Guitar Hero 2

Mais músicas, incluindo Iron Maiden (fãs do metal, estiquem aquele sorrisão carismático), possibilidade de comprar outras canções na Xbox Live, uma guitarra novinha em folha e alta definição. E o melhor: vai sair oficialmente no Brasil. Comece a guardar dinheiro. Você vai querer, eu já queria antes mesmo das guitarras de teste chegarem.

God of War 2

A demo é capaz de causar gritinhos no cara mais machão. E olha que quando eu a vi rolando pela primeira vez, eu estava em uma sala cheia de jornalistas homens definitivamente heterossexuais. A história já começa bem, exatamente aquilo que você poderia esperar de Kratos. Os inimigos (pequenos e grandalhões) estão pra lá de bem feitos. A jogabilidade muda sem errar: a diferença aqui está na quantidade de combos, você vai reparar de cara.

Wario Ware: Smooth Moves

Assim como a versão de DS, Wario Ware é viciante, serve para animar pessoas em qualquer nível de depressão, agitar festinhas regadas a wiisqui (ehehe) e causar muito embaraço com os novos usos do controle do Wii (calma lá, que mente mais poluída). Estou falando da possibilidade de colocar o WiiMote na cabeça, junto ao quadril, na ponta do nariz, etc. Enfim, mico garantido.

Command & Conquer 3: Tiberium Wars

Dois fatos: Primeiro, os filmes com atores reais no meio da jogatina estão de volta. Três vivas a isto! Segundo, você pode controlar uma facção inteiramente nova: os alienígenas. Quer mais? Espere o game realmente sair e eu te conto.

Winning Eleven: Pro Evolution Soccer 2007

Aparece de novo, com a possibilidade de tentar umas partidas contra gente do mundo todo, no caso da versão do Xbox 360. É um dos jogos mais vendidos no Brasil e deve continuar assim. O novo jogo apresenta quase nenhuma falha, mas também quase nenhuma grande melhora. Quem se importa? É bom de qualquer jeito (mesmo que seja só para olhar).

1... 2... 3...

Você reparou que na minha lista não havia nenhum jogo original? Quero dizer, todos são seqüências. Em games, ao menos, a noção de seqüência não funciona como no cinema. Quando alguém diz que prepara uma continuação para um jogo, geralmente a pré-disposição dos fãs é de imaginar que será genial, maior e melhor. No cinema, há sempre aquela sensação de que a nova história está fadada a ser um fracasso.

Lógico que nem tudo são flores. Às vezes, uma continuação acaba com o sonho de ver aquele amado game na tela, no seu auge. Em outras, o número dois acaba sendo muito mais importante e bem-quisto.

Se você é como eu e gosta de listinhas, mande as suas pra mim.

Continuações bem mais bacanas que o original

  • Half-Life: O segundo jogo da franquia mostrou como se faz física e desenho de personagens, e virou referência para toda a geração seguinte. Só isso.
  • Street Fighter: Taí um jogo que sempre foi bom. No entanto, a continuação foi tão bem-feita e tinha lutadores tão bacanas, que desbancou a primeira com um PERFECT!
  • Warcraft: O segundo título teve o mérito de popularizar a série e as frases dos orcs. Toda vez que você clicava em alguém, a unidade tinha respostas sensacionais. Além de mostrar como se faz um game de estratégia.
  • Megaman: Aqui, as continuações são umas melhores que as outras, a adição de armas e chefes fez de cada game item necessário para qualquer boa coleção.
  • Silent Hill: História complexa se faz assim, como mostrado em Sillent Hill 2. Além de expandir os métodos de prender o jogador na cadeira e dar sustos e arrepios na nuca até doer.

Seqüências que não chegam aos pés dos originais

  • Chrono Cross: O primeiro game, Chrono Trigger é um dos melhores, e quiçá o melhor, RPG de todos os tempos. O segundo serviu pra tapar buraco, com uma fórmula água-com-açúcar. Até é bom, mas não merece o nome "Chrono" ali na frente.
  • ActRaiser 2: O primeiro game era uma mistura de ação e simulação urbana, tinha uma proposta interessante que deveria ser ampliada no segundo jogo. O que aconteceu é que a história partiu para explorar um universo paralelo ou anterior ao primeiro título. Ninguém sabe. E esse é o problema! Convenhamos, não é um game de David Lynch.
  • Phantasy Star: A continuação deveria ser um clássico, mas afundou a série. Tanto que, até hoje, não se lança um título da saga realmente bom.
  • Driver: Posso dizer que é tão ruim que não quero nem comentar? E nem teria como, não consegui jogar mais de dez minutos.
  • Lost Vikings: O original era simplesmente sensacional. A seqüência, para PSOne foi um fiasco enorme, principalmente por causa dos gráficos rasos e feios.

Games que deveriam ter seqüência e não tiveram

  • Geração Point and Click da LucasArts: Aqui entram todos eles, Day of The Tentacle, Full Throttle, Grim Fandango. Todos sensacionais e viciantes. Talvez agora, depois das continuações de Sam & Max, alguém se anime a fazer.
  • Stracraft: Foi prometido, mas os fãs ainda esperam pela seqüência tão anunciada. Uma pena, quem jogou sabe que era mais do que merecido.
  • Altered Beast: Clássico! Era um tanto ridículo virar um animal com os gráficos antigos e datados, mas como seria agora?

Rapidinhas

Mais de Ghostbusters, por Saulo Benigno

Como a coluna é mensal, pode haver um atraso nas informações mesmo. O Saulo me mandou um e-mail com novidades sobre o jogo dos Caça-Fantasmas. Olha só:

Um pequeno detalhe sobre o jogo dos Caça-Fantasmas: a Sony já proibiu o grupo de fazer. Até o momento não tem nada certo, mas parece que eles (segundo comentário de um usuário) disseram que vão fazer o jogo mesmo assim, com uma marca só deles no estilo dos vídeos que foram mostrados.

Artigo aqui: "Sony Pulls Plug on New Xbox 360 Ghostbusters Game?"

Valeu Saulo!

World of Warcraft quebra recordes de venda

Acredite ou não, o MMO, quebrou recordes de pré-venda de jogos para PC em quase todos os países. Ainda mais: quebrou os recordes de vendas do primeiro dia dos consoles da nova geração. Claro, ele é bem mais barato que um console. Mas ainda assim é um dado curioso.

Blue Dragon pode estrear na TV

Quando uma televisão japonesa informou que um novo anime deve estrear dia 7 de abril e que os responsáveis pela produção são Hironobu Sakaguchi, criador de Final Fantasy, Akira Toriyama, de Dragon Ball e Nobou Uematsu, compositor de muitos RPGs de sucesso, a maior aposta virou Blue Dragon - game para Xbox 360, em que estas três figuras lendárias trabalham atualmente.

Final Fantasy a toda

As novas produções de Final Fantasy XII e Crysis Core tiverem destaques em revistas de games japonesas. Você pode conferir as páginas (sim, elas têm imagens dos games) abaixo:

Falaê

Se a sua mensagem não estiver aqui, pode deixar que terá um e-mail meu na sua caixa-postal o mais rápido possível.

Onde está Full Throttle 2?
De Erik Boscolo

Fiquei feliz de saber que Sam & Max ganharam continuação... O que me leva à próxima pergunta... Full Throttle 2 foi definitivamente cancelado? Eu tenho o histórico e saudoso numero um, original, em português em casa... bons idos anos 90...

Pois é, eu também, Erik. Foi cancelado, sim. Para a nossa tristeza. Talvez o sucesso de Sam & Max traga de volta a discussão.

Espaço aberto para discussão
De
Diego Rodrigues Araújo 

Como aficionado por jornalismo cultural (um dos tais que "transpiram cultura pop", como você escreveu), sempre senti falta de uma coluna séria sobre games fora dos veículos especializados. Penso que, por ser uma mídia recente, e que ainda sofre muito preconceito por parte de certo público (assim como ocorreu com as HQs), os games ainda não tiveram seu lugar reconhecido como uma fonte riquíssima não só de diversão, mas de reflexão e experimentalismo artístico. Sabemos, por exemplo, que bons jogos vêm trazendo a experiência narrativa a um novo patamar já há algum tempo.

P.S.: estou começando um blog agora, ainda não tem um direcionamento exato.

Oi, Diego. Concordo com tudo que você disse. No entanto, ainda acho que os games acabam gerando mais lucro para o mercado, e, portanto, devem ganhar espaço para discussão muito mais rápido do que aconteceu com as HQs. Mas o mais importante é discutir sempre, certo?

Segue o Blogzoide para que outras pessoas possam compartilhar seus pensamentos com você.

Qual console comprar?
De Marco Aurélio Santana 

Flávia,

Tudo bem?

Afinal de contas, qual console é o seu preferido?

Não ficou muito claro na sua reportagem. (Tá eu sei que o objetivo não era esse) Mas fiquei curioso. É sempre bom saber a opinião de uma "especialista" antes de comprar um.

Oi Marco,

Olha, pode parecer uma falsa imparcialidade jornalística, mas realmente nenhum console é melhor que o outro. Depende do que você quer. Enquanto o PS3 aposta em alta tecnologia, o Xbox 360 quer que você jogue online e o Wii parte para uma diversão mais clássica. Para falar em poucas línguas.

Na minha opinião? Poxa, não sei mesmo. Posso dizer que adoro passear entre eles, o que importa mesmo são os games, os títulos.

Leia mais Game Ovo