Se você acha que a longínqua Suécia acrescentou muito pouco à história da música, está redondamente enganado! Pelo menos é o que acredita o casal de empresários Ulf Westman e Ewa Wigenheim-Westman, que pretende abrir um museu do ABBA em 2008, na capital do país, Estocolmo.

O museu vai reunir itens musicais, figurinos e documentos históricos do quarteto, como manuscritos das letras das músicas, prêmios ganhos durante a carreira e tudo mais que você possa imaginar, segundo Ulf Westman.

O empresário também adiantou que o museu será interativo: terá um estúdio em que os visitantes podem gravar suas próprias músicas do ABBA e um simulador que vai recriar a sensação de estar no estádio de Wembley assistindo a um show do ABBA com outras 50 mil pessoas.

Ewa e o marido se inspiraram no museu dos Beatles de Liverpool, mas ela afirmou que foram necessários quase dois anos para convencer os integrantes do ABBA que abrir um museu sobre eles era uma boa idéia. De qualquer forma, os músicos só vão participar doando material para o museu, nada mais. Eles disseram em um comunicado que se sentem felizes por alguém querer recuperar a história da banda e que o museu provavelmente será um lugar divertido para visitar.

A prefeita de Estocolomo, Kristina Axen Olin, acredita que o museu será mais uma atração turística da capital sueca, afinal, pode atrair milhões de fãs de todo o mundo: Acreditamos que será importante tanto para os cidadãos de Estocolmo quanto para a cidade.

A expectativa é de que o museu leve por volta de 500 mil pessoas anualmente a Estocolmo. Não é de se duvidar. O ABBA acabou em 1983, mas ainda vende dois milhões de cópias de álbuns por ano (sem contar influências no som de Madonna). De acordo com os Westman, apenas Elvis Presley e os Beatles superam o ABBA em vendagem. Segundo eles, o quarteto sueco acumulou o exorbitante número de 370 milhões de discos vendidos até hoje.