None

A pesquisa Game Brasil 2016 derruba o mito de que videogame não é coisa de mulher. De acordo com o estudo, divulgado nesta quarta-feira (16), elas representam 52,6% do público que joga no país.

O estudo tem como objetivo traçar o perfil dos jogadores de videogame brasileiros e é formulado pela agência de tecnologia interativa Sioux, a firma de pesquisa de consumo Blend New Research e o GameLab, núcleo de pesquisa de jogos da ESPM. O levantamento ouviu 2848 pessoas de 26 estados e do Distrito Federal entre 15 26 de fevereiro de 2016.

O número de jogadoras no Brasil têm passado por grande crescimento, de acordo com o GameLab, que está em sua terceira edição. Há três anos, as mulheres totalizavam 41% do total de jogadores. Já no ano passado, elas eram 47,1% do total.

As plataformas mais usadas

A Game Brasil 2016 também revelou que o Xbox 360 ainda é o console mais popular entre os brasileiros. Segundo o levantamento, 40,9% dos entrevistados jogam no aparelho, seguido do PlayStation 2, com 35,3%, e o PlayStation 3, com 29,5%. O console preferido dos entrevistados também é o X360, com 31,9%, seguido pelo PlayStation 4, com 24,7%.

Mas a plataforma mais usada de todas é, de longe, o smartphone. 81,2% dos entrevistados afirmam que jogam no celular, enquanto 66,9% dizem jogar em computadores e 45,7% em consoles. Já no quesito preferência, 34,4% dos entrevistados afirmam que preferem jogar no smartphone, 30,1% optam pelos computadores e 29,9% elegem os consoles como plataforma favorita. O dado mais curioso fica no nicho gamer: apenas 11% dos entrevistados se consideram jogadores de verdade.

A pesquisa também incluiu pela primeira vez um segmento dedicado aos eSports. 63% dos entrevistados afirmam que nunca participaram de um campeonato de jogos. 33,6% dizem que já fizeram competições amistosas, e 3,4% dizem ter participado de eventos com organização oficial e premiação.

Entre os entrevistados que jogaram em eventos considerados grandes, a maioria jogou integrando equipes amadoras: 81,4%, enquanto os que jogaram por equipes profissionais são 18,6%. Por fim, 72,5% afirmam que nunca ganharam dinheiro jogando.

Já sobre os eventos de eSports, 26% dos entrevistados afirmam já ter assistido a algum tipo de campeonato profissional. Entre este público, 71,2% viu as partidas pela internet e 34,5% o fez de forma presencial.