De Super Mario Bros a Grand Theft Auto, sempre existem aqueles games cujos elementos são tão bons que definem padrões para todo um gênero, influenciando outros títulos e desenvolvedores - às vezes, até demais. Esse é o caso de Lords of the Fallen, no qual Tomasz Gop e o estúdio CI Games pegam sem pudor todas as mecânicas de Dark Souls e seus antecessores.

Taxar o game de cópia barata, apesar de correto, seria subestimar várias de suas qualidades. Lords of the Fallen tenta capturar a essência da From Software de um ponto de vista mais contemporâneo, e isso faz toda a diferença. O charme desafiador da série Souls vêm de uma escola de design que remete a alguns clássicos, na qual o jogo não interfere de forma explícita na experiência e ensina suas mecânicas da forma mais intuitiva possível - o clássico Sequelitis de Mega Man X exemplifica isso muito bem.

Lords of the Fallen nos ensina como em quase todos os títulos atuais: com tutoriais e mais tutoriais. A primeira luta do jogo é uma aula na qual você vê em detalhes o ritmo básico do combate. A mecânica primordial do personagem é exatamente a mesma de Dark Souls: há uma barra de vida, uma de magia e uma terceira, de energia, que é consumida pela sua movimentação de ataque ou de defesa - quanto mais forte o golpe desferido ou sofrido, mais rápido ela diminui e, se ela zerar, você fica vulnerável.

Pontos de vista diferentes

Nós somos introduzidos ao método dos games Souls de um modo que a série japonesa jamais ensinou. Em menos de cinco minutos, você é ensinado a defender, esquivar e saber quando usar ataques fortes ou fracos. Enquanto os desenvolvedores da From Software deixariam você morrer sem dó até aprender, Lords pausa o golpe do inimigo para que você entenda a dinâmica do combate, o parabeniza pela vitória e ainda te pergunta se você está fixando a câmera no inimigo no segundo combate.

A narrativa de Lords também é apresentada de um modo mais convencional, por meio de algumas cutscenes e closes de câmera em diálogos. A trama não é muito inspiradora: em um mundo com os elementos habituais de fantasia medieval, controlamos Harkyn, um ex-detento libertado por um misterioso homem chamado Kaslo. Sob sua tutela, Harkyn tem a oportunidade de se redimir dos próprios crimes em uma aventura para salvar um reino invadido por demônios de outro mundo.

Apesar de o personagem ser fixo, seu estilo de luta customizado: você pode escolher entre três opções de estilo de luta (Warrior, Rogue ou Cleric) e de magia (Brawling, Deception e Solace). Você pode combinar cada uma delas, mas, aos pares, elas se assemelham: Warrior e Brawling priorizam ataques diretos e força; Rogue e Deception se baseiam em confundir o oponente com clones e velocidade; e Cleric e Solace dão foco em proteção e magias à distância.

Versão light

Lords of the Fallen até pode ser punitivo, mas só se você sair muito da linha, e essa é uma lição aprendida também no começo do game, contra um chefe muito mais forte do que você, mas lento o suficiente para ensiná-lo que você deve esperar o momento certo de atacar. Depois de tanto aprender, a atmosfera sombria (e com gráficos belíssimos) fica menos amedrontadora.

Quando o assunto é dificuldade, Lords está alguns degraus abaixo de sua principal inspiração, e isso tira um pouco uma das melhores sensações de Dark Souls: o misto de alegria, alívio e poder resultante da vitória sobre aquele monstro ou oponente que te matou inúmeras vezes. A CI até pensou um pouco em quem busca mais desafio ao colocar chefes opcionais, mas claramente o foco está em apresentar um estilo de jogo sem o caráter punitivo do material que o inspirou.

Ao colocar tutoriais e uma história mais palatável, Lords of the Fallen abre o gênero para um contingente de jogadores que até se sente atraído pela jogabilidade dos games Souls, mas fica desmotivado pela falta de instruções ou pelo nível de dificuldade elevado. Se aprender jogar Dark Souls fosse como aprender a andar de bicicleta, Lords of the Fallen seria a bicicleta de rodinhas. Elas só estão lá para te dar a estabilidade necessária até você conseguir pedalar por conta própria.

Lords of the Fallen está disponível para PlayStation 4, Xbox One e PC. A versão testada foi a de PlayStation 4.

Leia mais sobre Lords of the Fallen

Nota do crítico