Em um vídeo, o suporte Hugo "Dioud" Padioleau desabafou sobre as semanas que antecederam a semifinal dentre RED Canids Team One no Campeonato Brasileiro de League of Legends e não garantiu sua permanência na equipe no futuro.

"O split acabou, mas meu contrato ainda não. Vou ser honesto com vocês: quero continuar no Brasil, sendo jogador ou não. Acho que tenho a capacidade de ser um dos melhores na minha posição. Não sei como vai ser. Gosto bastante da RED Canids, que foi bem honesta comigo e me tratou bem até hoje, dou muito valor a isso", afirmou o jogador.

No vídeo, Dioud também revelou que não treinou para as semifinais contra a Team One, e não participou de um bootcamp recente da equipe em Estocolmo, na Suécia. O suporte não viajou porque precisava resolver problemas com seu visto, mas o processo demorou mais do que o esperado.

No retorno da equipe, Dioud não chegou a treinar com a equipe. "A gente tinha cinco partidas, no mínimo, por dia. Pedi para jogar uma ou duas, mas o time achou que não precisava idso, porque isso não ia fazer diferença. Basicamente, o rhuckz iria jogar tudo. Não concordei com essa decisão, para ser honesto, mas aceitei", queixou-se o atleta.

Na visão do suporte, ficar de fora dos treinos e da decisão foi "complicado""Depois de um tempo, vi os jogos deles e não vi uma diferença tão grande no gameplay. Sabia que, mesmo não tendo jogado no bootcamp, ia ser de boa jogar com eles", disse.

No vídeo, Dioud também falou sobre seu processo de visto permanente no Brasil e cogita voltar à França para resolver os problemas com mais agilidade, mas quer permanecer no Brasil. "Quero começar um negócio aqui, uma empresa, abrir minha marca, fazer streams e trabalhar mais o meu YouTube", diz o jogador.