Há exatos 30 anos, em 18 de dezembro de 1987, o primeiro Final Fantasy era lançado para o NES. O que era para ser o trabalho de despedida de Hironobu Sakaguchi como diretor de games (e possívelmente o último lançamento da Squaresoft antes da falência) acabou se tornando um dos RPGs mais marcantes da história dos games.

Com uma característica única de mudar tudo, da história ao gameplay, a cada título numerado, Final Fantasy se destacou cedo pela excelência narrativa, o que rendeu momentos memoráveis na história dos games ao longo destas três décadas. Abaixo, separamos os melhores para você relembrar. Faltou algum? Deixe nos comentários!

(E vale o aviso: esta lista contém SPOILERS de vários Final Fantasy!)

A primeira “cutscene” de Final Fantasy

Nada mais justo do que começar essa lista com um momento do primeiro Final Fantasy. O cruzamento da recém-construída ponte que liga Cornelia ao norte resulta na primeira “cutscene” do jogo, na qual a clássica música-tema mostra que a aventura ainda está prestes a começar.

Assista a cena, em todas as suas versões, aqui.

A cruel derrota no início de Final Fantasy II

Dark Souls? Diablo no hard? Darkest Dungeon? Que nada: as definições de crueldade já haviam sido atualizadas em 1988, quando você enfrentava no início de Final Fantasy II nada menos do que os Black Knights, inimigos encontrados no fim do jogo. A luta, é claro, era feita para que você perdesse - e reforça o tamanho do desafio que te espera na aventura.

Assista a cena aqui.

A transformação de Cecil em Final Fantasy IV

Final Fantasy IV foi o primeiro jogo a mostrar o potencial narrativo da saga e a transformação de Cecil de cavaleiro das trevas para paladino é uma das maiores provas: neste momento, o herói expurga seu passado sangrento para começar como um guerreiro de luz - até mesmo no gameplay, já que ele retorna ao nível 1.

Assista a cena, na versão de Nintendo DS do game, aqui.

A cena da ópera de Final Fantasy VI

Final Fantasy VI é um dos melhores jogos de toda a saga e facilmente poderíamos criar uma lista apenas falando de seus momentos, mas um dos mais marcantes, sem dúvida, é a performance de Celes na Opera House, cuja proeza técnica soube passar, com o hardware do Super Nintendo na época, a sensação de contar uma história como qualquer grande espetáculo.

Assista a cena, na versão original do jogo no SNES, aqui.

O fim do mundo em Final Fantasy VI

Em quase todo Final Fantasy, você luta para salvar o mundo, e o que torna FFVI ainda mais marcante é o fato de o mundo ser, de fato, destruído durante a trama. Nenhuma cena retrata esse sentimento de desolação e desespero do que o isolamento de Celes e Cid em uma ilha remota.

Confira a cena, na versão original do SNES, clicando aqui.

O início de Final Fantasy VII

Poucas franquias se beneficiaram com a transição de ambientes 2D para 3D como Final Fantasy, e a introdução do sétimo game resume o porquê. Com cenas pré-renderizadas que serviram de vitrine para o poder gráfico do PlayStation a época, a sequência que une o planeta, Aeris, as ruas sujas de Midgar e a invasão ao Reator 1 é tão icônica que já foi refeita duas vezes: em uma demo técnica para o PlayStation 3 e no trailer do remake para o PlayStation 4.

Veja a cena original aqui.

A morte de Aeris em Final Fantasy VII

Você sabe que essa cena estaria nessa lista. Um dos spoilers mais famosos da história do videogame e uma das cenas mais dramáticas da história de Final Fantasy, a morte de Aeris deixou um impacto duradouro não apenas pela sequência em CG, mas porque o jogo faz você sentir essa perda dolorosamente no decorrer da história - tanto na história, quanto no gameplay.

Veja a cena original aqui.

A apresentação de Final Fantasy VIII

Hoje, Final Fantasy VIII é mais lembrado por sua trama confusa, mas, à época do lançamento, o hype em torno de seu lançamento (e, em especial, o peso de suceder FFVII) renderam pelo menos algumas das cenas mais bonitas de toda a franquia, graficamente falando. A abertura do jogo, ao som de “Liberi Fatali”, continua sendo um espetáculo.

Confira a apresentação clicando aqui.

O triste destino de Vivi em Final Fantasy IX

Por trás da nostalgia e das homenagens aos jogos passados, Final Fantasy IX tem alguns dos personagens mais marcantes de toda a série, e o pequeno mago Vivi é talvez o melhor exemplo. Seu arco é uma belíssima alegoria sobre o fim da vida, e seu destino, explicado no fim do jogo com uma sensibilidade tremenda, traz lágrimas e sorrisos em igual medida.

Veja o encerramento de FFIX aqui.

A abertura in media res de Final Fantasy X

A abertura de Final Fantasy X, na qual o grupo se reune em frente a uma fogueira ao som da incomparável música “To Zanarkand”, é um momento visualmente icônico da franquia por si só, mas ganha um significado especial porque assistimos a essa cena duas vezes. Na realidade, ela acontece do meio para o final da aventura e, ao assistirmos pela segunda vez, após viver diversas aventuras com este grupo, a emoção é outra.

Veja a cena, na versão original do PlayStation 2, aqui.

O beijo de Yuna e Tidus em Final Fantasy X

Da era do PS1 para frente, Final Fantasy deu umas escorregadas na hora de consolidar o romance de seus protagonistas (FFVIII, estou falando de você) e, apesar de um começo complicado, FFX sabe desenrolar a relação entre os heróis Tidus e Yuna com mais naturalidade. O fruto disso é a cena romântica mais memorável da história da saga, na qual o beijo do casal não parece forçado.

Veja a cena, na versão remasterizada de PlayStation 3 e PlayStation 4, aqui.

A luta contra Yiazmat em Final Fantasy XII

Final Fantasy sempre teve a fama de colocar como desafio supremo lutas contra chefes super poderosos, e, no jogo da franquia mais lembrado por seu gameplay, nada mais justo do que homenagear a luta contra Yiazmat, a epítome dos superchefes de FF. Com 50 milhões de HP, o inimigo te obriga a se manter alerta em uma luta que pode se estender facilmente por mais de duas horas.

Veja a luta na íntegra, no remaster de PS4, clicando aqui.

O último acampamento de Final Fantasy XV

Por mais grandioso que seja, Final Fantasy XV brilha nos momentos singelos, e o último acampamento do quarteto é a maior prova disso. Acampar é um ato banal durante toda a aventura, e rever o grupo em frente a uma fogueira, após os créditos do jogo e depois de um hiato de dez anos dentro da história, traz uma cena cujo peso emocional pode ser sentido mesmo nas poucas palavras de Noctis.

Assista à cena clicando aqui.