Na última sexta (17), um vídeo continha a informação de que Cyberpunk 2077, novo jogo da CD Projekt RED, terá elementos online para garantir "sucesso a longo prazo". Agora, o estúdio de The Witcher voltou à internet para esclarecer a citação e garantir que não vai entrar na onda de jogos com microtransações polêmicas.

Respondendo a um tuíte divulgando o vídeo, a conta oficial da CDPR escreveu: "Não se preocupe. Ao pensar em Cyberpunk 2077, não pense em nada menor que The Witcher 3 - um RPG single-player enorme, de mundo aberto, guiado por história. Sem pegadinhas - você recebe o que pagou. Sem enrolação, só jogatina honesta, como em Wild Hunt. Deixamos a ganância para os outros."

A constatação vai na contramão de polêmicas vistas com outras produtoras ao longo deste ano, nas quais as mecânicas e sistemas de progressão induzem o jogador a procurar itens por microtransações para avançar. Isso ocorreu em jogos como Terra-média: Sombras da GuerraForza Motorsport 7 e, mais recentemente, Star Wars: Battlefront II - este último, inclusive, rendeu uma enorme polêmica para a EA.

A CD Projekt RED já havia se posicionado de maneira similar no passado, quando garantiu que The Witcher 3 teria 16 DLCs gratuitos. Suas únicas expansões pagas - "Hearts of Stone" e "Blood and Wine" - garantiam mais dezenas de horas de jogo.

Por enquanto, Cyberpunk 2077 ainda não possui data de lançamento marcada ou plataformas definidas.