Recentemente, a CD Projekt Red, criadora de The Witcher, tem recebido avaliações negativas por parte de funcionários em sites como o Glassdoor, onde pessoas podem falar sobre seus empregadores em anonimato. As críticas miram na cultura do estúdio, que publicou uma resposta nesta segunda-feira (16).

"Se você está acompanhando notícias sobre a CD PROJEKT RED, você pode ter se deparado com informações sobre o moral aqui no estúdio," disse a CD Projekt na carta aberta. "Nós normalmente evitaríamos comentar sobre os reviews da empresa em locais como o Glassdoor, mas agora -- especialmente considerando que não falamos sobre Cyberpunk 2077 há um bom tempo e vimos alguns consumidores ficando preocupados com o projeto -- nós gostaríamos de falar sobre algumas coisas."

Parte do que motivou a CD Projekt a publicar a carta foram relatos como este do Gamingbolt que dizem que pelo menos quatro figuras importantes no desenvolvimento do novo jogo do estúdio, Cyberpunk 2077, deixaram a empresa. A resposta veio, em parte, para assegurar os fãs que o seu silêncio em relação ao projeto não é porque ele está com problemas, e sim pela natureza do trabalho. Você pode entender mais lendo a carta em português brasileiro, na íntegra, abaixo (via IGN Brasil). 

"Olá!

Se você está acompanhando notícias sobre a CD PROJEKT RED, você pode ter se deparado com informações sobre o moral aqui no estúdio. Nós normalmente evitaríamos comentar sobre os reviews da empresa em locais como o Glassdoor, mas agora -- especialmente considerando que não falamos sobre Cyberpunk 2077 há um bom tempo e vimos alguns consumidores ficando preocupados com o projeto -- nós gostaríamos de falar sobre algumas coisas.

Inicialmente, nós gostaríamos de falar sobre as saídas. Em 2015, quando lançamos The Witcher 3: Wild Hunt, éramos mais de 200 desenvolvedores e essa era a equipe central do estúdio. Desde então, nós quase dobramos esse número, e ainda estamos contratando. As pessoas saem? Claro que saem. Nós sempre desejamos a elas o melhor, e respeitamos tanto a decisão quanto o feedback que eles nos dão como o propósito da saída. Estamos em um trabalho constante para fazer da RED um bom local de trabalho para todos, mas também temos uma lista de valores que constituem quem somos e como fazemos as coisas.

Então, uma saída, mesmo de uma figura importante, significa que o projeto está em perigo? Seria necessário ter muita coragem para depositar o futuro de um RPG AAA em uma única pessoa (ou algumas poucas pessoas.)

Todo RPG que nós já desenvolvemos parecia impossível de ser alcançado no momento em que decidimos criá-lo. Demorou cinco anos para que terminássemos The Witcher 1, nós tivemos de criar o nosso próprio motor gráfico para completar The Witcher 2: Assassins of Kings, e tivemos de reinventar a maneira de fazer games para entregar um mundo aberto em The Witcher 3: Wild Hunt. Quando começamos a fazer algo, nós conhecemos o destino e estamos certos de uma coisa: mesmo que algo pareça impossível, não significa que o seja. E, como já foi provado, na maioria das vezes as coisas são completamente possíveis, elas só exigem muita fé, comprometimento e espírito.

Essa abordagem para fazer games não é para todo mundo. Muitas vezes é necessário ter um esforço consciente para "reinventar a roda" -- mesmo que você pessoalmente acredite que ela já funcione perfeitamente. Mas quer saber? Nós acreditamos que reinventar a roda toda santa vez é o que faz um game melhor. É o que cria a inovação e nos possibilita dizer que trabalhamos muito em algo, e que acreditamos que aquilo vale o teu dinheiro, conquistado com muito trabalho. Se você cria games com uma atitude "quase já é bom o suficiente", você acaba em uma zona de conforto. E você sabe onde a mágica acontece.

Cyberpunk 2077 está progredindo como planejado, mas estamos seguindo no nosso tempo -- nesse caso, silêncio é o que custa para se fazer um ótimo jogo.

Como sempre, muito obrigado pelo envolvimento com o que fazemos. Isso nos mostra que todas as horas que dedicamos valem a pena."

Cyberpunk 2077 continua sem data de lançamento ou plataformas anunciadas.